Confederação Brasileira de Tiro Prático

Notícias

37º PROVA DE SILHUETAS METÁLICAS EM FORT STOCKTON – TEXAS – EUA.

Publicado: Quinta, 08 de Agosto de 2013, 15h:21m | Última Atualização: Segunda, 27 de Junho de 2016, 19h:22m

 

 World Championships 2013

 

A Prova foi realizada no período de 19 a 26 /07/2013 na cidade americana de Fort Stockton – Texas - USA.

 

A equipe do Brasil, mais uma vez composta por dois atiradores, Luiz Alberto de C. Cordón e eu ambos pertencentes à AMTA – Associação Mocoquense de Tiro ao Alvo – Mococa – SP.

 

A viagem teve seu efetivo início no dia 14 de julho de 2013 quando o Sr. Luiz A. C. Cordón, minha neta (Vivian Frasier Abreu a mais nova brasileira inscrita na IHMSA) e eu partimos da minha residência em Winter Garden – Florida – EUA para iniciar uma aventura que percorreria  aproximadamente 3.362 milhas (ida e volta).

 

Durante toda a viagem feita quase que sempre pela rodovia I – 10, rodovia esta que vai margeando o Golfo do México passando pelos estados da Florida, Alabama, Mississippi, Louisiana e finalmente o Texas, por este percurso existe muita história do povo americano como a colonização dos estados do sul cuja principal atividade era agrícola com emprego de mão de obra escrava principalmente nas fazendas de plantação de cana de açúcar no estado da Louisiana.

 

Durante toda a viagem até chegarmos ao a cidade de Fort Stockton – Texas, passamos por paisagens diversas, ou seja, ora matas, ora plantação de grãos, cana de açúcar (álcool) e por vezes pastagens, sempre nos deparavamos uma grande quantidade de pequenos e grande animais como Esquilos, Tartarugas, Tatus, Racun, Veados e outros numa demonstração de cuidado com a fauna local (apesar de ter caça liberada em determinadas épocas do ano, como foi no Brasil de outrora).

 

O Estande de Tiros de Fort Stockton foi remodelado há aproximadamente dois anos dando maiores condições aos atiradores.

A pista de tiros é extremamente plana e em uma paisagem desértica, com muito vento e às vezes miragens o que torna o tiro ainda mais desafiador para qualquer atleta, fazer a pontuação máxima (80 x 80) além do treino devemos contar com a parcela da sorte.

 

No dia 19/07/2013 teve inicio a Prova de Tiros após as cerimonias de hasteamento das bandeiras e se ouvir os hinos nacionais dos países lá representados, além do anfitrião Estados Unidos da América com suas diversas equipes regionais, Austrália, Canada, Brasil, Paraguay.

 

Uma oportuna observação que não posso deixar de fazer é o não comparecimento dos representantes das indústrias e fabricas de armas e equipamentos com eram no passado que lá estavam para auxiliar os atiradores e mantê-los atualizados.

 

Foram feitas 367 inscrições sendo Air Pistol – 21 (6%), Big Bore – 123 (33%), Field Pistol – 27 (7%), FS 1/5 escala – 35 (10%), HS ½ escala – 36 (10%) e Small Bore – 126 (34%),acrescentando ainda a nova modalidade Caçador Pratico (Pratical Hunter) – PH com 16 inscrições, perfazendo um total de 383 inscrições, pelos números apresentados concluímos que as provas a cada ano tem tido um número menor de participantes (obs. Prova do Brasileiro, Centro Sul Sudeste e outras no Brasil tem maior número de participantes).

 

Após exaustivos dias de provas onde, para cada modalidades o atleta executa no mínimo 85 disparos o que daria no mínimo 31.195 disparos em diversos calibres tivemos a classificação geral por equipes que ficou conforme segue:

 

1.     Estados Unidos da América

2.     Australia

3.     Paraguay

4.     Brasil

5.     Canada

 

Cabe ressaltar que as provas são extremamente cansativas e demanda um bom preparo físico e emocional. Para cada dia de prova uma dupla de atleta (atirador e spooter) terá a possibilidade de fazer 04 (quatro) provas sem intervalo. Cada prova dura no mínimo 02 (duas) horas.

 

O atirador brasileiro que deseja participar desta prova tem que percorrer um enorme “calavario” burocrático devido às legislações existentes, em primeiro lugar providenciar uma autorização junto a ATF (USA), depois as GTE’s junto ao respectivo SFPC (Ex Brasileiro), passar por vistorias de saída no Brasil e entrada nos Estados Unidos da America e quando do retorno ao Brasil nova vistoria.(O que acho normal porem cansativo). No caso dos brasileiros ainda devem lançar mão de emprestar armamento de outros atiradores e quiserem participar de todas as provas, pois é impossível levar todas as armas necessárias aos Estados Unidos da America devido a regras da aviação.

 

Donald Robert Frasier.

 

Laura – Roteiro Cana de Açucar – Mississippi - EUA